5 dezembro
jazmine

Transtornos hormonais solucione com o pompoarismo.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Anorgasmia é a dificuldade em atingir o orgasmo ou a falta dele. A falta de conhecimento de algumas mulheres sobre suas zonas erógenas pode ser um dos fatores que influenciam e, não é devido a idade e sim a falta de toques e liberdade para fantasiar seus desejos.
Essa é uma disfunção sexual que atinge uma faixa grande de mulheres, cerca de mais de 50% atingindo qualquer idade. E estudos realizados por centros de sexualidade humana, de cada 100 mulheres, 70 não conseguem atingir o orgasmo. Existe casos de mulheres que nunca atingiram o orgasmo. E porquê isso acontece?

São muitas as causas:

* Fator Social – Por muito tempo foi introduzido em nossa cultura que a mulher não precisava sentir tesão e desejos – isso era até uma maneira egoísta de deixar que a mulher não sentisse interesse por outros homens – um conceito machão de que a mulher era apenas para procriar e satisfazer a vontade de seu marido, porque as fantasias e prazeres sexuais os homens procuravam em mulheres de mentalidade aberta e que não se submetiam a tal conceito. Na verdade, eles sim, os homens é que faziam o que aquelas mulheres queriam, muitas vezes elas fingindo para eles que gostavam, cobrando caro pela companhia e eles ainda achavam que estavam tirando vantagens.
Sem contar que as mulheres eram condicionadas a não se tocarem, não ver revistas com conteúdos eróticos ou filmes pornográficos e se preservarem para casar virgem. Tudo isso está mudando para melhor, apesar de ainda ter culturas e religiões que estimulam esses conceitos em seus jovens e que as mulheres casadas não podem ter diversidades no relacionamento com seus maridos , nem fantasias sexuais, pois tudo isso é considerado pecado ou imoralidade.

*Fator orgânico – Problemas hormonais, drogas naturais ou sintéticas, bebidas álcoolicas , tabagismo, entorpecentes, esteróides anabolizantes, falsos estimulantes podem levar a diminuição da libido.

*Fator físico– Cansaço físico, falta de estimulação da sensualidade , ausência de brincadeiras e carícias, má formação congênita, hipertrofia dos genitais são condições que podem diminuir o interesse pelo parceiro na hora do ato sexual.

*Fator psicossocial – Tabus, crendices, religião, educação sexual castradora, medo de engravidar, medo exagerado de não ter um bom desempenho sexual, baixa autoestima em relação ao seu corpo, experiências traumáticas anteriores, abuso sexual, pouca intimidade com o parceiro, culpa, traição, preconceitos, medo do envelhecimento, inexperiência, alta exigência ou comparação em relação a outros parceiros ou de si mesma, ansiedade, depressão. São situações que devem ser avaliadas e se preciso tratadas para não interferir em uma relação sexual prazerosa.

*Fator extrínseco (que não depende da mulher) – Muitas vezes, a mulher que tem um parceiro com ejaculação precoce ou seja, que ejacula muito rápido,e acaba não permitindo que a mulher sinta orgasmo já que a maioria das mulheres precisam de um tempo maior para conseguir a excitação necessária e também porque gostam e precisam das preliminares que são fatores muito importantes nesse contexto. Se isso não acontece, a mulher não consegue atingir o orgasmo e fica achando que o problema é dela, quando nesse caso não é. Só depois, quando tem outra experiência sexual, agora com outro homem, que empenha nos carinhos, não tem pressa e valoriza as preliminares ela irá perceber que tem sim orgasmo e que faltava tato do parceiro que era egoísta e pensava apenas em sua satisfação pessoal .

**IMPORTANTE – Para toda situação existe tratamento, desde que a mulher se valorize e queira apoio de um profissional médico ou psicólogo que possa ajudá-la a conhecer seus processos emocionais e seu funcionamento físico afim de fortalecer sua autoestima como uma mulher saudável e sensual, superando tudo que lhe foi dito anteriormente de maneira perversa. Em muitos casos a troca de parceiro por um homem que a ame verdadeiramente irá proporcionar momentos de realização pessoal que talvez ela nunca tenha vivenciado – por puro egoísmo do antigo companheiro.

Existem 3 tipos de anorgasmia:

* Primária – Quando a mulher nunca sentiu orgasmo, nem sozinha se masturbando nem com parceiro/a.

*Secundária– Quando a mulher passa a não ter mais orgasmo depois de algum trauma como um estupro , assédio sexual constrangedor ou um evento emocional importante como a morte do parceiro, ou de algum acidente grave que deixa sequelas. Pode ser ainda por vaginismo (dor na relação sexual) ou quando não está mais interessada no parceiro.

*Situacional- Quando a mulher atinge o orgasmo só em algumas situações, ou seja se o marido ou companheiro está forçando a situação ou se ela não está num bom momento, ela não terá orgasmo. Pode também ser que a mulher atinge o orgasmo com um parceiro e com outro não sente nada. O fator emocional e sentimental tem papel fundamental para a mulher e pode contribuir de maneira significativa para o não atingimento do orgasmo.

O tratamento é feito depois de uma avaliação em consulta ginecológica com um médico/a com mentalidade aberta e tempo para um consulta investigativa junto à paciente. Também podem ser pedidos exames laboratoriais que contribuem para diagnosticar a causa do problema. Em alguns casos o médico poderá encaminhar a um psicólogo que com terapia individual ou de casal, conforme o caso, irá abranger o autoconhecimento e estabelecer a autoestima dos dois ou de um deles, para que os pacientes possam sentir-se mais confiantes no momento do relacionamento sexual.
É de fundamental importância que a mulher nunca finja sentir orgasmo para enganar a si mesma ou satisfazer seu parceiro, pois isso irá prejudicar ainda mais o processo de autoconhecimento e de realização de prazer que não só acontece na hora da relação sexual, mas que estimula o bom humor, a feminilidade, a sensualidade, o brilho da pele e dos cabelos, o rejuvenecimento com a estimulação dos hormônios femininos e o aumento da disposição em ter relações sexuais cada vez melhores com homens que possam proporcionar o prazer merecido a essas a mulheres.

Existe um técnica que surgiu nos países orientais chamada Pompoarismo, que é uma ginástica sexual que promete fortalecer os músculos da vagina ativando o aumento sanguíneo da região pélvica . Regula os hormônios sexuais, diminuindo a frigidez e aumentando o orgasmo. Com isso a mulher se sente mais segura e aumenta sua autoestima na hora do ato sexual.E para de sofrer com tais problemas.

Fonte:http://luizagosuen.blogspot.com.br/

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *